segunda-feira, novembro 13, 2006

Assuntos da Alma

O telefonema que não vem
P/ Olhos Verdes


A dor da espera do telefonema que não vem
É a mesma dor que vai nos trilhos do trem.
É passagem que vai da alma ao coração.
É companheira que sofre junto com a emoção.

São tantos os malefícios dessa dor que
não afeta um músculo da minha face mas,
corrói a tampa de aço que sustenta meu cérebro
ordenando as juras de amor correrem para o esgoto
deixando no lugar o fel das promessas interrompidas.



Dor

Ferida inflamada
No peito uma dor
Nos olhos um sonho
Na feição uma cor.

Profunda é a lágrima
Que molha meu rosto.
Salgada como o mar
Alivia minha dor.

Arruinada estou
Com frio e fome
Molhada por dentro
E derretida por fora.

Vejo uma flor
Não tem espinho
Mas é perfumada,
Não é uma flor
e sim minha dor.
............................................


O golpe da vida é como um violento acidente de carro.
A gente nunca espera.

............................................


A tortura da própria mente é a maior punição
que um homem pode sofrer.

3 comentários:

Renato disse...

Que belas coisas vc escreveu aqui.
A dor é um assunto que poucos tem a coragem de dissertar a respeito.
Mas ainda bem que vc sabe tratar muito bem disso!
Parabéns e sucesso na sua vida. Vc merece. Forte abraço.
Ah, valeu pelo apoio moral naquele dia lá tá?
Renato

Anônimo disse...

Minha linda, isso tá bonito por demaisssss.
Beijo

Débora disse...

Isso tá me parecendo música....
Legal, gostei!
Débora.