sexta-feira, julho 06, 2007

Uma resposta ao caro Frei Calvão




Há 40 anos o mundo parava. Era lançado “Sargent Pepper`s Lonely Hearts Club Band, o disco-conceito do Beatles. Hoje, o mundo pára de novo. Para olhar e reparar que se passaram quatro décadas e que o disco continua atualíssimo em seu conjunto – letras e melodias. Não é raro ouvirmos alguém tocando ou assoviando “Lucy in the Sky with Diamond” por aí. Lançado em 1º de junho de 1967 na Inglaterra e no dia seguinte nos Estados Unidos, “Sargent Pepper´s” foi o divisor de águas na música pop, deixando à amostra do mundo o movimento de contracultura, que seria, meses depois, levado às ruas pelos hippies na América, experiências com drogas sintéticas, como LSD, e também norteando os estudantes que se rebelaram em maio de 68 na França.

Apontado pela crítica como o melhor disco dos Beatles, “Sargent Pepper´s foi inovador em vários aspectos. Um deles foi o fato de se, pela primeira vez, fazer um disco em que as faixas se relacionavam, para compor um tema: uma banda que existia para alegrar o seu mundo. Também mostrou o “casamento” de instrumentos usados freqüentemente no rock, como guitarras e baixo, com outros de origem oriental, como no caso da cítara, e alguns utilizados em orquestras. Tudo montado, a dedo, por George Martin, produtor do grupo. Os Beatles ficaram de dezembro de 1966 a abril de 67 gravando as canções. Durante este período, de acordo com estudiosos da música do grupo, tiveram contato maior com a cultura oriental, levados por George Harrison, que já “namorava” com estes conceitos. Outro cuidado do disco foi com a capa, montada com flores e mostrando dezenas de personagens, com os Beatles no meio deles. Foi com “Sargent Pepper´s que o grupo de Liverpool também se mostrou ao mundo, pela última vez, como uma banda mesmo – nos discos seguintes foram poucas as faixas em que os quatro rapazes tocaram, efetivamente, juntos. Outra herança do disco para a cultura pop foi o videoclipe. Foram faixas como “Strawberry Fields Forever” e “A Day in the Life” que tiveram imagens acopladas a elas, originando videoclipes. Por estas e muitas outras razões, que se fossem ser listadas deixariam o texto longo demais, é que se comemora os 40 anos do lançamento de “Sargent Pepper´s








Tito, O Frei.


3 comentários:

Frei Calvão disse...

Uma simples cópia que o Oasis também fez..olha piquitito...espero que seu inglês esteja tinindo para ser um fã de letra mesmo e não uma universitaria molhadinha gritando para eles.Respeito sua admiração pelos jovens ,mas dizer que eles são referencia...acho que os stones fizeram mais....

Anônimo disse...

Estou falando de musicalidade, que não tem relação nenhuma com letra, apesar de ser referência.
Para responder sobre a questão dos Stones eu diria assim " tudo o que é bom acaba", acho que vc entendeu.

Tito, O frei.

Anônimo disse...

talvez devessemos pedir a extinção da democracia,da cerveja e do futebol,alem da mulherada andar de biquini com pele dourada nas praias,...ja que td que é bom acaba...