terça-feira, outubro 07, 2008

Doador hematófagofobíaco




O cidadão, aparentemente saudável, jovem, bem arrumadinho, mesmo contrariando sua natureza se colocou a disposição para atender ao apelo do patrão e se encaminhar até o banco hemofílico do centro da cidade para doar sangue pra uma tia do chefe, dessas grandes e de varizes de bom calibre, ou seja, carentes de muito sangue.
Ao entrar na sala de espera buscou coragem noutro paciente – e aqui se leia paciente mesmo, pois já havia mais de quarenta minutos que esse segundo esperava o atendimento. O moço indagado não aparentava tanto asseio assim, contudo a inquieta vontade de ajudar o próximo sendo um doador o incluía num seleto e pequeno grupo de pessoas que coincidentemente doam sangue as vésperas de feriados prolongados, e talvez naquela manhã todos tivessem sido contemplados com a mesma idéia, e a superlotação do recinto era notável logo as primeira horas do fim do ponto de orvalho.
Foi direto, perguntou logo se havia problema em doar sangue, ou se havia tal ato antes, ou mesmo ainda se já havia acontecido alguma situação onde o doador fosse levado as pressas ao ambulatório adjacente ao prédio.
O outro, não respondeu com muita firmeza. Havia um explícito retardo de reflexos que a mistura do chá de cadeira, a falta de desjejum e o cedo da hora haviam proporcionado. Tal fato preocupou demasiadamente o fiel funcionário doador.
Alguns minutos depois entraram juntos na sala de doação. O outro sentou-se tranqüilo à poltrona reclinada e se pôs a ver o que passa na TV a cabo coletiva. Ao saudável restou o consolo e a atenção da enfermeira, um pouco feia, mas que o tentou acalmar, argumentado que nada de mal lhe aconteceria, que essa atividade a ela já se tornara corriqueira e que acima de tudo, o calibre avantajado da agulha lhe garantiria maior conforto na hora da extração do sangue.
Agora mais calmo, o sadio reclinou-se, teve a veia encontrado e de última hora foi orientado que não olhasse diretamente o bombear do sangue, que de preferência tentasse prestar atenção no programa sobre animais que era exibido naquele momento.
Inacreditavelmente o tema daquela manhã era morcegos hematófagos – e aos que não estão habituados ao termo, morcegos hematófagos são aqueles que se alimentam preponderantemente de sangue de mamíferos, quase sempre preferindo os de médio e grande porte e normalmente não gostam de abrir novas fendas para sugar o sangue, pois o gasto de energia nessa atividade é muito grande o que torna o morcego fiel a sua vítima, vale lembrar que o morcego faz o buraco no pescoço do animal e fica lambendo o sangue que escorre... já que a saliva do morcego é anticoagulante.
Aos três minutos e meio de programa a sudorese fazia sua parte com louvor, o rapaz de aparência saudável suava em bicas, pálido como branca de neve.
A enfermeira foi logo acionada pelo outro, indagando que o rapaz estava a delirar, pronto a um desmaio repentino. Dito e feito, logo após a chegada da enfermeira o rapaz esmoeceu.
Segundos depois foi acordado com leves tapas no rosto e um algodão embebido em uma substância desconhecida de cheiro forte, sendo levemente passado no nariz e na TV já passava o Bom Dia & Cia.
Não me lembro bem se ouvi de alguém ou se de alguém que ouviu e contou, mas creio deva essa estória ser verídica, no entanto não dou fé reconhecida em cartório, mesmo porque estórias de sábado a tarde de sol antes de eleição com cerveja nunca hão de ser legitimadas.

5 comentários:

Maria, Simplesmente disse...

Pra tirar dois tubos de ensaio de sangue passo mal, imagine tirar uma bolsa de sangue assistindo Animal Planet?? Tiro sangue, ninguém tira nada de mim!!!

É, Nelinho, muito boa crônica, consegui sentir até o suor escorrendo ... mas a validação realmente é impossível!!!

excavator attachment disse...

yeah! its much better,

Alexandre disse...

Eu afirmo e doou fé, só a temperatura do ponto de orvalho que não tenho muito precisão.

La Nave Va disse...

alguém me contou essa história há uns dias, acho que foi no savema. ou no rapsódia?

Nilson Ares disse...

Cara mais fruta esse daí...

É por que não estava passando Blade, senão acho que o bicho morria...

Valeu!