quinta-feira, agosto 12, 2010

Adoniran Flanando em SJC

video

12 comentários:

Marcio disse...

Esse viaduto Talim virou um ícone joseense. Concluso. Ícone dessa São José, que quer criar um viaduto pro "amanhã".
mandou bem na mídia hein Coronel?

Anônimo disse...

Aqui tudo parece construção, mais já é ruina.
PIK

Anônimo disse...

Muito bom!

SM

Anônimo disse...

Hoje enfim my friend pude ver com mais paciência o video. Eis uma nova vertente para os piraquaras abrirem as portas de imaginação.

Hemerson

Anônimo disse...

Sobre o viaduto...

Quando Dr.Paulo fez a trabalhadores e o terminal do tiête foi taxado de maluco e ladrão por se tratar de obras faraonicas para época mas que hoje ja estão defazadas e carentes de mais alternativas.

O talim é a mesma coisa. Até eu que o critiquei no começo lhe tenho usado com muita frequencia a ponto de achar que ele ja devia estar la a uns 10 anos!

Como para o Adoniram , 100 anos pro Cury em São José!

O resto é balela

Anônimo disse...

Meus em relação ao último comentário ,mais 100 para Cury, com licença, eu vou vomitar;
PIK

Marcio disse...

O problema das obras do maluf não foi terem sido superprojetadas, mas sim superfaturadas. Pague 10 e leve 01.
Tanto que até a Interpol tá atrás do meliante.
que exemplo infeliz...

Marcio disse...

Pois é my friend Hemers, o audio visual é uma linguagem a apropriar-se, é só daqui pra frente!

Alê Marques disse...

É isso camarada Gurdura! A parada é ser realizador e/ou se realizar no audio-visual. A composição e a fruição da imagem são transcendentes para nós e imanentes a arte e imaginação.
Prever o resultado de um audio-visual é um exercício de imaginação, e saber que este resultado está atrelado ao imponderável e ao incerto é um exercício de liberdade!!
Vamos em frente!!

Alê Marques disse...

Gurdura,
Isso nãoacontece também com a gravura?! A tentativa de prever seu resultado faz parte do exercitar da imaginação. Porém seu resultado após a gravação, que parece ser tão diferente ao imaginado, se traduz como exercício de liberdade que a técnica do gravador tenta contornar, mas é surpreendida pelo o imponderável!

Marcio disse...

Com a Gravura, com o Desenho, com a Pintura, com a Escultura... A técnica é o nosso esforço em dominar a resistência da matéria. Mas a sensibilidade tem que estar sempre atenta para o que o acaso oferece em termos de soluções surpreendentes, muitas vezes melhores que as previstas! No caso do cinema e do vídeo, a matéria é a luz.

Nilson Ares disse...

Duro é constatar nossa ligação com o viaduto Santa Ifigênia, tão distante e tão próximo que Adoniran nos traz; e nossa tristeza para com o Talim, filho da gestão anti-cultura do PSDB...

E já se vão quase 16 anos...