sexta-feira, outubro 20, 2006

Inquietudes do Jacareí Via Estrada Velha

Caros e caríssimas, tenho pensado muito sobre tudo ultimamente, no entanto os momentos que me restam para pensar e não agir-pensar são as viagens de ônibus, particularmente quando estou no Jacareí Via Estrada Velha, no adiantado da noite, no retorno para casa. Lá ninguém consegue ler, a qualidade do ônibus e da estrada não colaboram para tal aventura. As pessoas se amontoam e falam o tempo todo das intempéries da vida e do futuro incerto, sem levar em conta que a estrada que os leva ao destino citadino comum também é parte da vida. E como é!
Como disse nosso Rei da vela, os movimentos e pensamentos autômatos da vida quase não nos deixam ter alegria. Esta nos escapa pelos dedos todo o tempo, mesmo para nós que estamos diante das facilidades da vida e do modus operandi da vida muderrrna! Eu acho que o Erich Fromm fala sobre isso. Matamos o tempo usando a tecnologia como arma e não conseguimos nos encontrar, perseguindo uma ilusão de felicidade que jamais se torna realidade. A não ser que a gente pense e espiritualize tudo isso.
É isso que venho fazendo, quando a bordo do oblíquo Jacareí Via Estrada Velha a R$ 2,05. Tudo vem à tona. A paisagem desregulada através de meia janela aberta, a que horas vou chegar em casa no aconchego do lar, as cidades em expansão causam furor nos especuladores imobiliários, mas, indiferença aos olhos de quem quer ver mais verde e limpo o nosso vale. Para mim, pequenas distâncias entre estruturas do espaço e grandes saltos no existencialismo humano.
Quero as inquietudes do Jacareí Via Estrada Velha até quando ele não mais me servir materialmente entre um ponto e outro.
Samuel Farias

6 comentários:

Anônimo disse...

Etâ vida de gado.
Me perdoe a preça é a alma de nossos negócios, como diz o Paulinho da Viola.

Piquitito

ComunaPiraquara disse...

Caro Samuel,
Esta sua viagem de bonde valeu a pena!!Quem dera metade das viagens desse uma migalha de tua inspiraçao!!
Vou procurar andar mais de bonde!!

olhos verdes disse...

Aproveito um comentário feito por vc o qual eu não entendi muito bem:
"Não é a gente que escolhe o onibus lotado; é ele que nos escolhe"......

O cotidiano é o que efetivamente nos ensina algo na vida.
Bom final de semana.

Anônimo disse...

Ótimo!
Um mix de Fromm com Lefebvre.
Gostei muito!
Senta a púa!

Anônimo disse...

Na verdade essa viagem tem se repetido muito.
A questão do ônibus lotado é mais complexa do que parece...quando estamos parados lá esperando que o próximo busão não esteja muito lotado vem aquele com gente saindo pelo ladrão...e a vontade de ir para casa é tão grande que o ônibus nos escolhe. Uma coisa assim de momento. Bom final de semana a todos!
Samuel

Anônimo disse...

Quantas mulas de carga, passaram por estas estradas, cruzando Rio-SP, atrás do ouro, da prata, do café.
Agora nós cruzamos, atrás do que?

Da gente mesmo, né?.


abraços

Rei da vela