domingo, maio 27, 2007

Lavra a dor

Que palavra lavra
A dor no peito?

Que palavra lavra
O céu cinzento?

Que palavra lavra
"Eu não aguento"?

Que palavra lavra
a dor?

Que palavra lavra o
Lavrador?

O que basta
À lavra da palavra,
Enquanto lavra o
Lavrador?

Lavro agora
Lavo agora a dor,
Lavo o peito
Lavro agora agora a dor...

Lavro a dor
Lavo
Lavro
Lavrador.

Nilson Ares (27/05/07)

8 comentários:

Frei Calvão disse...

Bonitinha,mas sei la....poesias sofridas essas pra lavradores,talvez Antonio Ermirio de Moraes mereça uma poesia no seu rala do dia a dia!

Anônimo disse...

O André deveria comentar o que sabe, o resto deixa para os outros.
Muito bacana meu amigo

Piquitito.

Frei Calvão disse...

o piquitito devia fazer a porra da divulgação do blog logo pra aproveitar o momento....mas ele dorme,dorme,dorme,zzzzzzzzzzzz....

Chassi de Grilo O>- disse...

vocês dois deviam fazer o seguinte:
SAIDANO!
legal o poema sarsa, poesia é forma não é?

Frei Calvão disse...

meu caro chassi(residente da cidade de sandy e junior)cada opinião sobre seu tema deve ser mantida...seria o mesmo que dizer que fusca,147,opalão e variant II sã todos legais por serem a mesma coisa hora....eu não gosto da variant II e a poesia ai em cima ta uma merda memo!!PORRA

INVASOR DE APS disse...

O QUE É QUE A BAIANA TEM???????

Olhos Verdes disse...

Bela poesia Sarsa. Bem trabalhada tb.
Abraço

Piraquara de nascença disse...

André...

Fale com as nossas mãos!!!