sexta-feira, junho 22, 2007

Algumas considerações sobre a música

Estava a conversar com um amigo a minha aversão pelo Yamandu Costa, que até então não conseguia explicar. Apesar dele ter uma grande técnica, o que é inquestionável, a parte melódica chega ser irritante, como se fosse uma seqüência de acordes de alta velocidade com pouco teor melódico. Não gosto de aplausos inconseqüentes .
Quando ouço a genialidade do afro de Baden Powell, o choro chorado do professor do Toquinho , Paulinho Nogueira, ou ainda o falecido Raphael Rabelo vejo que a melodia está além da técnica e está além do tocar bem.
A musicalidade é algo que nos faz ir além : é trágica, dramática, intrigante entre outros possibilidades que podem causar ao ser, mas a sucessão de notas , não é a música , é sua possilibidade.
Podemos ser grandes copistas, mas criadores, é outra coisa.
Penso que a genialidade é destacável por trazer o novo , não a repetição de coisas existentes. Com a repetição podemos ter bons músicos, mas não gênios, e isto , é para poucos.
Piqui

3 comentários:

Anônimo disse...

também não é para tanto né meu velho!

S. Farias disse...

Não entendo muito de cordas, mas poderei ouvir Yamandu com um outro critério. Valeu professor!
S. Farias

Frei Calvão disse...

Concordo piamente caro piqui com a critica sobre o yamandu,apesar de achar que é isso mesmo que ele quer vender ao seu publico,não comparando o a excepicionais que tocam violão com a boca ou com a orelha,mas ele sabe que esse som DE ALTO TEOR SEM MUITA MELODIA é sua essencia.