domingo, agosto 19, 2007

20 anos da morte de Drummond


" Se há um deus que regula o futebol, esse deus é sobretudo irônico e
farsante, e Garrincha foi um de seus delegados incumbidos de zombar de tudo
e de todos, nos estádios. Mas, como é também um deus cruel, tirou do
estonteante Garrincha a faculdade de perceber sua condição de agente divino.
Foi um pobre e pequeno mortal que ajudou um país inteiro a sublimar suas
tristezas. O pior é que as tristezas voltam, e não há outro Garrincha
disponível. Precisa-se de um novo, que nos alimente o sonho"

Mané e o Sonho(1983).

By

Frei Galvão


3 comentários:

Tito, O Frei disse...

André,

vejo um problema grande que está acontecendo em nosso futebol que é sua prostituição cada dia mais cedo. Não temos tempo de ver os gênios e eles perderam a identidade com esse país.Fato que recentemente 3 jogadores simplesmente renegaram a jogar pela seleção alegando cansaço.
Será que esse camaradas sabem o que é o cansaço de levantar as 6 como grande parte dos brasileiros que colocam o seu alívio neste esporte.

Anônimo disse...

Bom ,como disse,acho que até Edmundo(se enxugando na camisa na frente de um zagueiro ou rebolando na linha de fundo sempre da posse de bola) tentou imitar Mané,o problema é que ninguém tentou imitar Drummond.

André Luiz Rozaboni disse...

Piqui..elabore um texto sobre o tema e mande la no beneditos!