domingo, agosto 12, 2007

Domingo, quase dez da noite


Domingo, quase dez da noite.

Penso no amanhã

Em bater meu cartão amanhã

Ouço "Doors", vejo Elvis.

Penso em minha filha...


Domingo, quase dez.

Minha mulher fala com o pai distante

Trocam carícias de uma saudade ofegante

Recíproca da terra em que o velho descansa.

E o telefone encurta a distância.


Domingo,

Ainda trago o gosto do que houve

Churrasco, cerveja, refrigerante,

Um bolo doce "anti-depressivo"

E ainda o sabor do calor de estar junto.


Domingo, mais de dez da noite.

Há um vazio,

Preciso descansar

Desligar desta vida

De telefone, computador, e-mail...


Domingo,

Tem que ser dia de campo,

Assim como o sábado e a sexta

Dias de merecido descanso,

Como os do pai de minha mulher

Que pela vida inteira trabalhou tanto...


Já passei dos trinta,

Já se foram tantos domingos

Mas ainda não vislumbro qualquer resquício

De descanso.


Acho que estou só começando...


Nilson Ares



7 comentários:

FREI CALVÃO disse...

DDOMINGO...22:43...
LEIO ESSA BOSTA!

Chassi de Grilo O>- disse...

as intempéries do frei já viraram um lugar comum

domingos em casa são terríveis, ontem à tarde fui jogar basquete com os meninos; como a quadra do CLT não tem iluminação, foi anoitecendo e continuamos jogando, só nós, mal víamos a bola. salvou o dia.

Anônimo disse...

que bosta.que nojo.que cagada.que merda.que descontrole.que insuficiente.que vontade de tomar no cu.

Anônimo disse...

Acho que já virou algo particular esse papinho do André . tenha dó Frei.

André Luiz Rozaboni disse...

PS:esse penultimo ai em cima nao sou eu nao.
Frei

Chassi de Grilo O>- disse...

mas o que me interessaria a vontade anônima de tomar no cu? (talvez a alheia, dependendo do alheiamento...)

frei calvão disse...

Efeito Microondas(Coluna Clandestina do Frei)
QUANDO ACORDO VEJO A PAREDE DO MEU QUARTO,VOU AO BANHEIRO,ESCOVO OS DENTES,TOMO CAFÉ,ENTRO NO MEU CARRO PRETO,VOU TRABALHAR,VEJO OS MESMOS COLEGAS,CLIENTES,PATRÃO,CARROS ,MATERIAIS,ALMOÇO NO MESMO LUGAR A MESMA COMIDA DE SEMPRE,VOLTO A TRABALHAR NO MESMO CARRO PRETO,NAS MESMAS RUAS,NAS MESMAS HORAS,VOLTO PRA MESMA CASA,TOMO O MESMO CAFÉ,JANTO O QUE SOBROU DO ALMOÇO,DEITO NO SOFÁ,ASSISTO UM JOGO(DO MESMO TIME ,DESDE QUE NASCI)E VOU DORMIR NAQUELA CAMA QUE NAO LEMBRO QUANDO TROQUEI.
SERA QUE ISSO É MUITO DIFERENTE QUE MORAR NUM MICROONDAS.OU É UM POSTER DE TUDO IGUAL QUE INVADE A VIDA DE CADA UM?
FREI