quarta-feira, agosto 20, 2008

O Sal da Terra

O que posso perceber do alto dos meus 33 anos, e até mesmo anteriormente, do que já li sobre a história econômica do Brasil de estudiosos como Celso Furtado e Caio Prado Júnior, é que o meu país com todos seus problemas que ainda tem (digo isso sob apena do ufanismo) nunca esteve numa posição tão claramente boa para toda sua população como agora.
Os programas sociais de distribuição de renda em nosso país nunca tiveram uma abrgencia tão massiva como agora, programas como bolsa família, escola, ( o que muitos chamarão de populismo) deu cabo de promover uma distribuição de renda no Brasil tirando um cem número de famílias abaixo da linha de pobreza, e até dinamizando economias locais, como no interior do nordeste.
Um outro fato inconteste é o crescimento econômico sustentável, com políticas de pleno emprego atingindo níveis jamais vistos, sempre ancorado em fundamentos macro-econômicos realmente sólidos, tais como recordes seguidos de superávit na balança comercial, superávit primário, reserva cambiais robustas que fizeram com que o risco país caísse e os investimentos estrangeiros aumentassem ainda mais. O que fez com que o argumento de muitos oposicionistas caísse por terra, ao dizerem que essa bonança pela qual o país passa era reflexo de um momento econômico mundial, esqueceram que a economia global está preste a uma crise capitaneada pelos os EUA desde quando estourou aproximadamente há ano a crise dos sub primes, afetando vários países do mundo, e o temor era que a crise chegasse ao Brasil o que não se confirmou graças solidez de seus fundamentos macro econômicos.
Agora o que está provocando uma verdadeira epilepsia no tucanato de Plantão e fazendo o Mario Covas revirar dentro do caixão, é a descoberta de uma mega reserva de petróleo em camadas muito profundas do assoalho marinho chamada de camada do pré-sal. Para se ter uma idéia um dos maiores campos de petróleo do Brasil tem em torno de 8 bilhões de barris de petróleo o que não é pouco, e o que faz e Petrobras ser o que é. A camada do pré-sal tem uma estimativa de 50 a 70 bilhões de barris de petróleo o que é muito mesmo e com uma diferença, é o chamado petróleo fino, o de melhor qualidade.
O pré-sal vai mudar a dimensão da economia brasileira e também dará outro contorno geopolítico para a América do sul, uma vez que não será somente a Venezuela uma grande produtora de petróleo, mas também o Brasil.
O governo Lula está para mudar o modelo de exploração para o pré-sal, não será baseado só em royalties, mas adotará o modelo da Noruega em que parte do petróleo ficará no país e não cobrará só imposto da exploradora, de maneira que o país desenvolva ainda mais sua tecnologia de refino e produção de derivados de petróleo e não seja um mero exportador da commodity, como é caso da Nigéria.
O pré-sal movimentará uma infra-estrutura enorme, neste ultimo domingo tive a noticia da instalação do maior estaleiro do hemisfério sul localizado em Recife, para o pré-sal está programada a compra de 70 navios que deverão custar em média US$ 150 milhões a 200 mi cada um; 28 navios-sonda, de US$ 800 milhões a US$ 1 bi; mais 140 barcos de apoio: US$ 50 mi. No total, serão mais de US$ 40 bi de investimentos em produtos que serão adquiridos pela Petrobrás.Por trás deles, terá que se investir em estaleiros, em fábricas de turbinas, fábricas de grandes motores para navios etc..
O mais importante disso tudo é para onde o governo pensa em destinar todo dinheiro do pré-sal, segundo o que sinaliza a atual administração, o dinheiro irá primeiramente para educação e em segundo lugar para a ciência e tecnologia, o que tornará o país ainda mais competitivo no seu parque industrial e tecnológico, e no âmbito da educação colocará o país em pé de igualdade em investimentos com países como a Coréia do Sul.
E pensar que setores do PSDB já quiseram privatizar a Petrobras, se o PSDB quiser bater (como já está tentando) no pré-sal assim como o fez nos programas sociais do governo taxando-os de populista para classe média na ultima eleição, o que resultou em um revide nas urnas quando Lula ganhou o segundo mandato, pode tomar outro revide se bater no pré-sal e Lula fazer seu sucessor. Parte da direita ainda não sabe se bate ou assopra.

7 comentários:

La Nave Va disse...

Bom, acho que agente nem sabe ainda o que isso tudo pode significar. Mas que essa história do Lula mudar as regras da exploração do pré-sal incomodou pra c** o mercado, isso já tá visto. Via comentaristas como José sardenberg, chamaram d quebra de contrato pra baixo.
Acho interessantíssimo se for assim mesmo, já pensou enganchar a educação e a pesquisa no pré-sal? é quase um sonho. mas é difícil né?

Anônimo disse...

Boa análise,

hemerson

Maria, Simplesmente disse...

Meu avô esta bem pânico com essa descoberta de petróleo em camadas muito profundas do assoalho marinho. Ele diz que os estadunidenses vão alegar que tal reserva esta em área internacional e tomar tudo pra eles na força. Outro dia, em conversa de aposentado em frente a padaraia, um amigo dele disse que soube por fontes fidedignas que já há navios pertencentes a marinha estadunidense vasculhando/patrulhando a costa brasileira.

Quanto a educação, sonho, sonho muito com maiores investimentos...sonho com adultos que saibam se comunicar e sonho com crianças vivendo num mundo sem violência.

La Nave Va disse...

Assoalho marinho é uma expressão bonita, nunca tinha ouvido antes.

Nelinho 10 disse...

Investimento na educação pra inglês vêr... saiu o resultado do IDEB nesse mês que passou e algumas unidades escolares da prefeitura municipal de são josé dos campos comemoraram demasiado o resultado muuuuito próximo do 6, nota de corte dos países desenvolvidos... é tudo índice pra ter acesso a financiamentos internacionais, quem não sabe...

Nelinho 10 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

em vista de texto com um embasamento que incomoda os tucanos de plantão não há palavras. Valeu Coronel, pelo menos nossas conversas de bar ainda estão virando ótimos textos. E os EUA estão sim fazendo manobras no Atlântico sul; também creio que quando for possível a distribuição da riqueza da matriz em questão, já estaremos vivendo um caos climático e os hidrocarbonetos de lá extraídos serão um grande ônus energético para o Brasil...Valeu Coronel.
S.Farias