domingo, outubro 12, 2008

A esquerda que cega

Meu professor de história na época do curso de filosofia falava que quando estívessemos mais velhos entederíamos algumas coisas que agora não estava bem claro. Tenho que confessar que ele tinha razão.
Me lembro nos idos dos anos 80 eu carregava uma bandeira imensa vermelha com meu amigo Nei Lambido , alguns que lerão este texto sabe de quem estou falando, e orgulhosamente disparávamos discursos socialistas baseado nos princípios religiosos do segmento chamado convergência socialista e alegremente enfretávamos a polícia, a bem da verdade nunca enfrentamos porra nenhuma, mas corriámos bem.
Hoje fico a pensar nesta porra de esquerda que tanto defendi que não divergi da direita que temos do país em nada. O candidato Toninho tinha razão no seu discurso ao dizer que ambos são farinha do mesmo saco, não que concorde com PSTU.
O perigo quando se crê cegamente nessa gente é o mesmo que ocorre quando estamos numa religião que nos aliena , o discurso contrário não deve ser ouvido e se matamos para chegarmos a um fim é sempre justificável.
Se enterdermos esquerda como aquele que realmente quer o bem do próximo utilizando de meios políticos para se chegar a tal lugar , não devemos esperar nem do PT , nem do PSDB, pois ambos são uma merda só.
O grande problema dessa juventude , e de nos em geral é vivermos num achismo desgraçado e estudarmos pouco, mais muito pouco mesmo para saírmos falando tanta besteira , aos menos no que tange à política.
Tomarei o exemplo relacionado a mim para que valha como melhor exemplo. Todos esses atos corruptivos denunciados pela mídia contra o PT soava para mim como inaceitável, não o que eles fizeram, pois nunca aceitará acreditar nesta possibilidade dita pela mídia, entretanto, amigos isto é possível e tenho certeza que essa cambada tirou proveito "SIM" do poder . Mas vocês sabem, fanatismo é fanatismo e para se livrar dele não é fácil.
Não me recordo totalmente , mas lembro quando li que Bakunim , que escreveu Deus e o Estado, colocou a Marx que sua proposta de ditadura do proletáriado viraria um governo de meia dúzia de aproveitadores e por esse motivo foi expulso de uma das internacionais, aliás, como cantei esse hino na igreja " Convergência Socialista ".
Hoje, dou como decretado que não lerei a biblía Marxista como um fanático, não acho que o socialismo é a solução para o mundo, nem o capitalismo , nem porra nenhuma.
Precisamos antes de tudo sermos bom de verdade com quem está perto antes de querermos melhor o mundo como um todo, o resto de discurso babaca. Precisamos pensar por nós próprios e ouvirmos e estudarmos solitariamente sem ficar com meia dúzia de pessoas que ditarão o que devemos acreditar.
Assim como era inaceitável a ditadura militar expulsar pessoas que não aceitavam o seu regime, que era uma bosta de verdade, não podemos nos orgulhar das merdas feitas pelo Fidel e pelo Hugo Chaves, vamos pensar por nós mesmos e acharmos pelo fato dos caras baterem de frente com os Americanos os fazem "santos" e dão direito de não permitir que uma pessoa saia do seu país a hora que bem entender.
Me desculpem meus caros, mas se a esquerda é essa merda : tô fora !!!!

Hemerson

6 comentários:

La Nave Va disse...

ney Lambido! putz grila!

Hemersão! não tenha peso na consciência de ser crítico, sempre. não tem lado certo mesmo, e estamos sempre correndo o risco de cometer julgamentos precipitados.

Nelinho 10 disse...

O que acontece é que o nível de discussão política das pessoas é muito incipiente, digo MUITO incipiente MESMO, uma vez que sequer a noção de Estado, Nação ou cidadania as pessoas têm com clareza. Há sim uma inerente tendência a discussão dos moldes e propostas onde o que está sendo prometido ou apresentado por políticos ou partidos políticos beneficie uma determinada parcela da sociedade. O nível de consciência política das pessoas é tão pequeno que leva a ocorrer nessa cidade tacanha, por exemplo, que pessoas apreciem a utilização dos recursos públicos para fomento de obras de construção de centros comerciais, empreendimentos imobiliários e shoppings centers ao invés de postos de saúde, escolas, creches, centros esportivos e profissionalizantes nas zonas periféricas da cidade. Sem querer parecer pró-política assistencialista, no entanto se houvesse a aplicação de um Estado de Bem Estar Social, como o Estado inglês do século XIX, esse neoliberalismo, que força a autarquia das pessoas, não se faria tão determinante nos modos de vida ou composição de estratos sociais. Também não creio deva ser este ou aquele partido melhor ou pior, se socialismo ou democracia dirigida de semidireita, mais tenho plena convicção de que uma sociedade mais equânime é estritamente necessária. O que resta talvez seja perceber que caminho tomar para tal.

Hemerson disse...

Infelizmente as empresas estatais nessa merda sempre serviu para direitos privados de uma minoria que está dentro do estado.
Vejamos o caso da Embraer, antes da privatização havia dois restaurantes : um para a peãozada e outro para uma minoria com direito a Uisque, champagne e caviar. Isto não existe mais.
A questão é que existe uma merda privada dentro do estado.
Que reparação precisa da ditadura militar pessoas como o FHC e o Lula. Não precisam de merda nenhuma. Teve gente mais decente que falou para usar esse dinheiro para investimento em educação por que não precisa deste dinheiro.

Maria, Simplesmente disse...

Achismo ainda vai virar a ciência mais exata do mundo. Depois não digam que não avisei!! Todo mundo sabe tudo! Não há estudo nem preparação. Eu não sabia como se elegia um vereador, aprendi nessa eleição depois que votei.
Não sei bem o que é esquerda, mas gostei da descrição do Saramago no livro 'Ensaio sobre a lucidez'.

Sei que não gosto da pró-política assistencialista, mas acho ela necessária.

Tento sim fazer minha parte e ser exemplo, mas acho que poderia fazer mais. Começando por estudar mais e entender qual meu papel na sociedade.

Alexandre disse...

É proibido proibir!
Aff!!! Finalmente alguém está assumindo a estrutura do festival! Deram uma repaginada na parada. Tava demorando. Lembro-me do Caetano no festival de 68, "se vocês forem em política como são em estética estaremos feitos!"
Ainda fico com o maio francês "Somos realistas companheiro, queremos o impossível".

La Nave Va disse...

falando em amio francês, assisti um filme muito bom, que se passa em pleno maio francês, em paris, mas nãotrata disso, como chama? acho que é os amantes? vou ver