quinta-feira, novembro 06, 2008

Martin, Lewis e Barak

"Eu tenho um sonho de que meus quatro filhinhos, um dia, viverão numa nação onde não serão julgados pela cor de sua pele e sim pelo conteúdo de seu caráter.

Martin Luther King.

Em nosso pequeno mundo da fórmula um as coisas caminharam rápido. Não muito, afinal demorou cinqüenta e poucos anos para que um negro fosse campeão mundial, Mas comparado a outras situações, Lewis chegou ano passado e quase ganhou o campeonato mundial. Este ano foi com justiça o campeão. Porém a cor de sua pele nada tem com isto.

Sua capacidade, seu talento ou sua sorte para quem queira, são coisas que independem de cor, raça, credo ou opção sexual. Irrelevante.

Não há vantagem em ser desta ou daquela etnia. Não sei por que o espanto: “O primeiro negro a vencer na F1”!Por ser um esporte caro? Elitista? Não existem negros ricos ou na elite?Por acaso ficaremos estupefatos da mesma forma quanto um japonês for campeão? E quando for uma mulher?

Já no grande mundo real as coisas são muito mais lentas. Dois séculos até que um afro descendente chegasse à presidência dos EUA. Muita injustiça e muita violência rolaram por baixo da ponte norte americana até que um filho negro da terra alcançasse o posto de maior importância na hierarquia daquele País.

Aqui sim a cor da pele faz e fez a diferença no desenrolar da história. Aqui não bastava a capacidade de Obama. Não era suficiente seu talento ou o conteúdo de seu caráter.

Era necessário vencer a resistência histórica de um povo a cor de sua pele. Venceu. E pregando paz e entendimento entre os diferentes povos do mundo.

E se este século teve seu inicio com o fatídico 11 de Setembro, então, povos do mundo, aproveitai esta inédita e provavelmente única chance de, como nos nossos “Windows”, usar um ponto de restauração. Reiniciar nosso século a partir de algo bom...

Parece que o(s) dia(s) que M.L.K. sonhava finalmente chegou!!!
Colaboracão de Ron Groo

4 comentários:

Alexandre disse...

Muito boa Frei Mainardi!!
Aos poucos vc tá deixando de ser Mainardi e passando a ser mais Frei.

Nelinho 10 disse...

pois é... são os negros retomando, aida que de forma tímida, seu papel de escreventes da história...

vale atentar para a foto do Obama... o povão é homogeneamente branco... não é um tanto quanto antagônico?

Anônimo disse...

como dizia luther king...free at last, free at last! muito bem colocado, inté . sf

La Nave Va disse...

fim da era Bush, um Preto na casa Branca, é tanto simbolismo empolgando a gente, mas vamos ver no que vai dar.