terça-feira, outubro 31, 2006

Caros (as) , a vontade, o desejo, é às vezes tão impertinente que veja só a Maria Joana.

Maria Joana , Séc. XVII , Pará, fez uma mandinga, para o amado desejado.


“Fulano, com dois te vejo, com cinco te mando, com dez te amarro, o sangue te bebo, o coração te parto. Fulano, juro-te por esta cruz de Deus que tu andarás atrás de mim assim como a alma anda atrás da luz, que tu para baixos vires, em casa estares e vires por onde quer que estiveres, não poderás comer, nem beber, nem dormir, nem sossegar sem comigo vires estar e falar.”


Revista Nossa História Ano 1 n 1 Novembro de 2003

“Brasil de todos os pecados”


Vale a pena ser lida, a matéria é muito boa.


Abraços

Charles


Obs: São Bayardo está realizando suas obras, e só semana que vem ele estará presente.

3 comentários:

Anônimo disse...

Ó São Bayardo, valei-me!
Continue sendo o nosso Suassuna de plantão.
Samuel

olhos Verdes disse...

"Os outros não sondam minhas entranhas, nem meu coração; não me julgam com base no que sinto, mas na minha maneira de reagir ao que sinto". Aristóteles.

Anônimo disse...

Acerca do comentário acima de Aristóteles transcrito pela moça dos óio verde...:

é a dialética da carne e do espírito... é a confrontação do ser.