quarta-feira, outubro 18, 2006

Começou a chover

E nesse exato momento eu ia sair pra buscar o carro no lava rápido 3 meninos, pois daqui a pouco o Natã sai da escola, tenho que buscá-lo, é hora do almoço, e os eventos se suscedem. Mas começou a chover. E pensei que, não tendo escrito nada aqui para postar, pois não tive nenhum lampejo literário, não costumo ter, está chovendo, vou escrever isso, estou aqui, na frente do computador, não posso buscar meu carro no lava rápido 3 meninos ( eu tenho 3 filhos) então vou escrever. O quê? Isso, uma palavra puxa a outra? Não sei, hoje é quarta feira, e segundo o cronograma do manager (Manager!) hoje é meu dia de postar. Será que o carro já tá pronto? Poderia ligar lá e pedir pro cara trazer, acho que ele nem cobraria por isso, mas aí ele teria que voltar na chuva. Tá quase na hora do Natã sair, ainda tá chovendo, acho que vou buscar o carro com uma capa. Mas se não estiver pronto? não vou poder esperar, pois a escola não pode esperar com um aluno até um carro ficar limpo. É responsabilidade dos pais buscar os filhos no horário. O Samuel escreveu sobre tecnologia. Não há tecnologia que salve um dia de chuva. que se manifestem os paulistanos, moram na metrópole do país e são vitimizados por qualquer chuvinha. e agora? o que fazer? o que escrever?
Parou de chover! Ufa!

4 comentários:

Anônimo disse...

velocidadevelocidadevelocidadeelavaiaidade

Olhos Verdes disse...

kkkkk
ótimo, ótimo, ótimo.
Perfeito Márcio, adorei. Rir da desgraça alheia é muito bom sabia? heheheheh.
Que angústia meu amigo!!!!!!! rsrsrsr Ficou legal. Tô rindo de vc aqui. Não consigo ver vc desesperado mas lendo isso eu fiquei angustiada junto contigo bicho. ahahahahahah Valeu.

ComunaPiraquara disse...

se todo vazio literário fosse esta expulsão, ou melhor, esse exorcismo, gostaria que meu jardim fosse feito de cactos.

abraços

rei da vela

Anônimo disse...

quão pequenos somos ante a chuva que cai...e realmente nada (e ainda bem) pode detê-la. Melhor seria você ter esperado chover e colocado seu carro num espaço sem cobertura...sustentabilidade.
Valeu Márcio!
Samuel