segunda-feira, novembro 27, 2006

Fatos

Semana passada recebi duas notícias que me sacudiram...

Uma delas foi a gravidez de uma garota de dezenove anos, solteira e cheia de sonhos. Confesso que fiquei triste. Por que?

- Ah, quando eu fiz dezenove anos recebi o mundo de braços abertos. Senti o cheiro da liberdade e o poder de seduzir todos os meus desejos.
Era como se eu não tivesse fim e junto com essa sensação vinha o medo de perder todo esse sonho. Eu tinha consciência de que uma gravidez naquela fase da minha vida interromperia totalmente essa grandiosidade que eu enxerguei pela minha frente – o mundo completo e sem restrições – trabalho, estudos, amigos, viagens, festas, diversão, cuca fresca, lazer, prazer, enfim minha única preocupação era comigo mesma.
Caro leitor, eu sei que acidentes como esse acontecem mas você concorda que ganhar um filho “surpresa” aos dezenove anos é uma brincadeira sem graça?

A outra notícia foi a morte de uma conhecida. Atualmente morrer de câncer de mama no meu ponto de vista significa estupidez.
O avanço da medicina me incomoda, parece que ainda não alcançou a velocidade necessária nem a urgência esperada. Mulheres jovens demais estão tendo suas vidas roubadas enquanto os cientistas procuram a cura.
Ou a cura já foi encontrada e os laboratórios é que barram a divulgação em nome do lucro?
É sabido que já existem meios de acabar com essa doença mas qual o laboratório que se aliaria a cura de um mal que resulta em suas fortunas?

ISTO É INDIGNO, INJUSTO, DESUMANO, NOJENTO, TUDO DE RUIM QUE POSSA TRADUZIR A FALTA DE SENTIMENTO EM CABEÇAS CAPITALISTAS.

Analisando essas duas notícias, eu concluí que, ganhar um filho aos dezenove anos mesmo em situação difícil ainda se tem muito mais a comemorar e celebrar com pompas do que perder uma mulher com um pouco mais de trinta anos, no auge da sua vida para um câncer de mama. Essa última sim é que a brincadeira é totalmente sem graça!

Boa semana à todos!
Olhos Verdes.
P.S. Como constante aprendiz, apontem erros ortográficos e conjugações no texto pois só assim terei a oportunidade de aprender.

3 comentários:

Anônimo disse...

Não esquente com os erros, entro da casa sem olhar os objetos.
Quanto ao texto: "Navegar é preciso, viver não é preciso". F. Pessoa.
Piqui.

Felipe disse...

Minha amiga... Realmente são dois fatos que duelam entre si: A vida e a Morte. Interessante ponto de vista.
Abraço
Felipe

Anônimo disse...

Olhos Verdes, a indignação ainda é um remédio importante no tratamento contra a injustiça humana.
Que bom q você existe!
Renato.