domingo, novembro 26, 2006

O silêncio e o vazio


O silêncio é presença universal nos homens. Muitas vezes estou a dormir, ele vem trazer a angustia da pergunta existencial que persegue o homem desde os primordios. Para mim o silencio é sonoro, ele está no espaço vazio da música que é som.
Ligo o rádio às vezes para que o barulho do silêncio não venha brincar comigo, ouço noticias sobre a economia mundial, futebol, novas tendências e outras coisas, até que o sono venha.
Duro é quando acordo a noite e o não existencial, o nada, a morte a brincar comigo e fazer companhia. Lembro do com Deus me deito com Deus me levanto na divina graça do espirito Santo que meu pai ensinava quando pequeno, e repetia para o silêncio não trazer o desconhecido.
O silêncio e o vazio parecem irmãos, enquanto o silêncio tem seu barulho o vazio tem seu espaço.
Brincar e viver com essas duas coisas não é tão simples.

O resto é c vc´s.

Hemerson.


4 comentários:

Anônimo disse...

preciso e maravilhoso!

Realmente o silencio existe e tem som, o som do nada emergencial que brota do existencial toda vez que escutamos sua sonoridade languida e sem compaixão, a sonoridade da pausa da semi-fusa na cacofonia de nosso cotidiano.
As vezes também espacializo o nada e sonorizo o silencio, quando faço a acareação da minha existencia.
Coronel.

Anônimo disse...

"o silêncio foi a primeira coisa que existiu" Arnaldo Antunes

Rei da Vela

Anônimo disse...

No silêncio a gente "se conversa" e acerta o diálogo, fica cara a cara. Sentimos o medo e a solidão, porque a existência é liquida; vai se diluindo até que um dia o próprio silêncio vem e nos silencia definitivamente.

Nilson Ares

Olhos Verdes disse...

Silêncio por favor, estou pensando...