domingo, setembro 30, 2007

Não desligue o rádio!


Era pleno sábado de sol. A noite anterior havia sido de farra, bebedeiras, música e amigos...
Por volta das nove, ainda sonolento, me levantei “mirando a reta” em direção ao banheiro, necessitando esvaziar a bexiga lotada da cervejada passada.
Depois de atender às minhas necessidades, fechei a porta do banheiro e, me dando conta de que não havia ninguém em casa, desliguei o rádio sem reparar se estava tocando música, fazendo propaganda, em que sintonia, etc.
Ainda dormi mais um pouco, uma hora acho, e não consegui mais ficar deitado por causa do calor que já fazia. Novamente, fui ao banheiro para lavar o rosto, escovar os dentes, essas coisas...
Arrumei minha cama, e peguei alguma coisa para ler da qual não me lembro mais.
Já envolto na leitura, ouço o barulho do portão abrindo, ruídos de sacolas, e conversas.
Era a minha “mãezinha” chegando do mercado, acompanhada do meu pai.
Como era comum aos sábados minha mãe ir ao mercado, continuei ali sem dizer nada, eu e minha leitura.
Foi quando escutei minha mãe perguntar ao meu pai sobre quem havia desligado o rádio; já que quando eles saíram, deixaram o rádio ligado. Meu pai disse que não tinha sido ele, e ela, sem pestanejar afirmou: só pode ter sido o Nilson.
Continuei ali, lendo.
E pouco depois minha mãe apareceu na porta de meu quarto com uma cara de brava, e me perguntou se havia sido eu quem tinha desligado o rádio.
Eu disse que sim. “Para que rádio ligado se não tinha ninguém para ouvi-lo”, “veja a senhora, se o meu som está ligado é que estou aqui a apreciá-lo”.
Reprovando o que eu disse, ela já foi interrompendo: “Não, não faça mais isso”, disse ainda brava comigo. “Se você não reparou, tinha um copo com água perto do rádio, se você não reparou, estava sintonizado na Rádio Mensagem de Jacareí, e se ainda você não reparou era a missa do padre Marcelo Rossi que estava sendo transmitida, e ele iria benzer o copo de água que eu deixei perto do rádio, mas como você o desligou, a água não foi benzida”. Agora, só amanhã que irei benzer a minha água, por culpa sua.
Então meu filho, por favor, da próxima vez “não desligue o rádio, não desligue o rádio viu!”.

Nilson Ares

2 comentários:

Anônimo disse...

Provavelmente faria o mesmo. No momento estou ouvindo o programa do Silvio Luiz no radinho de pilha.

Hemerson Vieira

Frei Ceni disse...

Esses dias peguei minha mãe fazendo a mesma coisa,mas ao invés do copo de agua na caixa de som,havia uma foto de um tio envolto em problemas.e ao oração rolava.ao terminar o programa ela desligou o radio mas nao tirou a foto.ao chegar da rua pus um Cd dos Stones tocando "Sympathy of The Devil" e depois vi a foto la...pensei...sera que o efeito sera diferente?