domingo, julho 19, 2009

O RÚ-AHH DE JAVÉ


O século XX e o começo do nosso século mostraram que o movimento Pentecostal, em grande parte da América Latina, vem se destacando como sendo a manifestação cristã mais vigorosa do planeta.
Apesar da sua coloração, a teologia pentecostal é chancelada na relação efusa com o Espírito Santo que tem como finalidade a realização de algo sublime.
A palavra espírito é polissêmica, na escrita original do hebraico "RÚ-AHH" quer dizer: respiração, ar, vento, ânimo, fôlego, força vital nas criaturas. Apresenta também sentido metafísico: força invisível capaz de produzir efeitos patentes.
O conceito de sabedoria na estrutura do pensamento judaico não é apenas uma função cognitiva, intelectual ou racional que se adquire polindo, disciplinando a mente. Alcança-se sabedoria sobretudo crescendo em espírito; tirando os sapatos e devolvendo a nossos pés a terra, caminhando artesanalmente para si mesmo.
Foi no começo do século XII que Joaquim de Fiore, abade Italiano de grande influência social, profetizou segundo suas convicções milenaristas que o milênio antes de cristo seria a era do Pai, o criador; o primeiro milênio a era do Cristo, filho enviado, e por fim, o segundo milênio seria marcado com o advento do Espírito Santo.
Joaquim de Fiore construiu o arquétipo do espírito através de experiências alcançadas pela meditação. Apesar do movimento não ter se expandido, Joaquim tinha um número considerável de seguidores, portanto, esse foi o primeiro indício pentecostal encontrado na história.
Então, pode se dizer que o embrião pentecostal nasce na Idade Média?
Pentecostal vem de pentecostes, evento marcado pela epifania do Espírito Santo sobre os apóstolos reunidos no cenáculo em Jerusalém, cinquenta (Penta) dias após a ascensão de Cristo; essa narrativa é encontrada na Bíblia no livro de atos capítulo dois, onde é fundamentado no Cristianismo o pentecostalismo.
Tal acontecimento simboliza a descida do espírito santo, elemento este, que possuidor de identidade distinta coexiste na figura do Deus Pai e Filho; e que hoje, compreende toda a operação mística da crença cristã, e por conseguinte, consagra o processo histórico Cristão trinitário.


Por Fabiano Baldi

6 comentários:

Sil disse...

É a primeira vez que estou por aqui...E digo surpreendida com tal feito...Os textos nos envolvem e nos remetem a história.
Só tenho a dizer...que farei visitas frequentes.

Ótimo...ótimo...ótimo...

THE PASSENGER disse...

Pentecostalismo e America latina, belo mote!Que fatalmente eu não consigo o ver sem sua dimensão política.
Tendo que o Pentecostalismo possivelmente tem sua origem na idade média, não dá pra deixar de lembrar alguns fatos que o faz presente até hoje em nosso subcontinente. O primeiro é o de Joseph Ratzinger, que é o primeiro Papa alemão desde a idade média, e que antes de seu atual papado foi prefeito da Congregação para Doutrina da Fé - antiga inquisição. Foi durante seu mandato como prefeito que abriu espaço para esse pentecostalismo reprimindo o movimento da teologia da libertação na America Latina. Colocou um dos teólogos mais proeminentes desta linha e do maior país católico do mundo, Leonardo Boff, em um tribunal, como Giordano Bruno, na mesma cadeira em que Galileu sentou já no final da Idade Média.
Sua princiapl alegação é que no Brasil não havia miséria e criticava a excessiva influencia marxista na corrente em questão.
O espírito Santo é político, a perda de católicos para outros movimento carismáticos só esta sendo amenizada pelo pentecostalismo, que teve como padrinho a luta ideologica dos anos 70 e 80 na A.L.
A igreja ainda é medieval assim como o pentecostalismo, e Ratzinger é a personificação desse medievalismo. Ele refuta até algumas premissas do Vaticano II. Prova disto é aquele bipo nazista que foi excomungado e ele o reabilitou. A teologia da Libertação está para a pobreza material assim como os carismáticos estão para a pobreza de espírito. A America latina é uma catarse coletiva.

fabiano disse...

Pois é, caro coroinha The Passenger,bem colocado a suas palavras no que diz respeito a história política clerical do conservador e ditador Joseph Ratzinger.Muito bem lembrado também a retalhação que passou Giordano Bruno e Leonardo Boff naquela cadeira histórica, sendo acusado de manchar a hipócrita doutrina canônica.
Mas estreitando a questão geral para a questão mais especifica, o pentecostalismo historicamente segundo a sociologia, nasce no começo do Séc XX nos E.U.A.O movimento foi divundido a partir das doutrinas de John Wesley, o fundador do metodismo.Até então, o movimento pentecostal nasce e adquire únicamente expressividade no segmento protestante,não desconsiderando mais tarde a estratégia católica frente a teologia da libertação e a redução de seus adeptos de inserir no seu rito o movimento carismático(pentecostal).Portanto, o vigor da massa pentecostal vem sendo reverberado historicamente de modo específico a partir do protestantismo,muito antes de aparecer no catolicismo.

Anônimo disse...

Sim claro, concordo contigo!
O que fiz foi mais um comentário específico do pentecostalismo na AL.Na verdade foi mais uma catarse minha sobre a cartase coletiva da America Latina, e nem tanto norte americana.
coronel

Zenilda Lua disse...

Parabéns Fabi
Seu texto tem consistência filófica,
teológica e poética.
Essa parte é linda:
"Alcança-se sabedoria sobretudo crescendo em espírito; tirando os sapatos e devolvendo a nossos pés a terra, caminhando artesanalmente para si mesmo".

Voltarei mais vezes para suprir-me deste seu traço intelecto e perfumoso.

Z.made in PB

Cardápio Delicadeza disse...

Tá mandando bem no assunto heim "marditão?".

Parabéns!!

Abraço do teu irmão de luz!!