terça-feira, abril 26, 2011

Visita da morte

A morte veio lenta e silenciosa

Tocou-lhe o rosto de barbas falhas

Veio à noitinha, sorrateiramente

Uma ladra à meia-noite

Afagou-lhe a cabeça

Na proximidade do tumor fétido

E como uma mãe carinhosa

Beijou fortemente a face

Parada ali ao seu lado

Feito vela a clarear o quarto

Mantinha seus olhos fixos

Por toda extensão do teu corpo

Perante o sofrimento

Por piedade fraternal

Tragou-lhe o ar que ainda restava

E partiu deixando a porta aberta

PIK

5 comentários:

Nervo Ótico disse...

Faltou um jogo de xadrez!

Charles de Lima disse...

E o Bergman, é claro!

abs


Prata

Anônimo disse...

EEEEE COMUNA..TSCTSC...

MAIS UM TEXTO ALCÓLOTRO-CORTADOR-DE-PULSO...

É LER ESSA BOSTA E PERDER O RESTO DO DIA.

Nervo Ótico disse...

Não há concessões aos leitores, os escritos, via de regra, não atendem à esta demanda da vitória, dos finais felizes, do argumento comercial fácil.
O texto em questão ao tratar da morte o faz através de metáforas vivas, porém discretas, e com uma narrativa enxuta. Sem contar que o mesmo alude em suas entre-linhas a outros textos, no caso o cinema de Bergman, que como a fotografia, também é texto. Vejo que existe aqui o fenômeno do inter-texto, que leitores mais atentos são capazes de identificar, utilizando uma prática muito comum na literatura que é a literatura comparada. Dialogar com outros textos dentro do mesmo texto é algo que exige uma técnica apurada de quem o escreve e também de quem o lê, e o que torna a literatura ainda mais instigante! Prenhe de interpretações que extrapolam o texto, se desdobrando em devires de outros textos, da fotografia, do cinema e etc.
Referente ao conteúdo, existencialmente, a morte seja uma negação de sentido, já que para o existencialismo não há uma essência e o sentido só se faz em vida, no mais, é o nada emergencial. Talvez seja essa a conotação que o autor possa ter dado, muitas vezes é o não sentido, o non sense que o texto busca.

PIK disse...

Que bom que vc perdeu o resto do dia caro leitor, temos um efeito ...Isto para mim é ótimo, apesar de ver que vc não entendeu nada ,o que é comum nos dias de hoje...